2007/02/11

O Papa Bento XVI dirige-se aos enfermos


Contemplando os sofrimentos de Cristo, podem redescobrir, na união com Ele, uma confiança maior, certos de que a comunhão com Cristo, pode torná-los úteis para as necessidades da Igreja e do mundo. A oração, envolvida pelo sofrimento que lhe dá força, é mais eficaz e provoca o Senhor para que olhe com mais bondade ainda para o mistério e os limites do homem. Em Cristo podem os doentes encontrar o encorajamento e a fortaleza espiritual necessários para alimentar a fé e aproximar-se mais do Pai da Vida.
Ideias.com saúda e está unida a todos os doentes através da oração e da força interior.
Convida os nossos leitores a partilhar os seus sentimentos perante aqueles que sofrem a doença incurável.

1 comentário:

Cabral-Mendes disse...

Creio firmemente que, para os meus olhos se abrirem para Deus, Ele fez-me atravessar um deserto inóspito de vinte e cinco anos, curiosamente quase todo o pontificado de João Paulo II. Assim, através de um sofrimento purificador e de uma verdadeira “via crucis”, Deus concedeu-me o dom maravilhoso da Fé.

E não rejeito esse mesmo sofrimento. Para alcançar Deus, ou seja, o supremo Bem, passaria por tudo, de novo.

Como disse João Paulo II, “ que o doloroso caminho de Jesus, a Via Crucis, seja para nós um preciso chamamento a reconhecermos o valor do nosso sofrimento quotidiano".

Paz e bem, Queridas Irmãs!